Com o intuito de promover educação ambiental, debatendo assuntos sobre qualidade de vida e saúde pública, na última terça-feira (28.11) aconteceu o 1° Workshop de Saneamento Básico e Preservação Ambiental em Ariquemes. Com iniciativa da concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto do município, Águas de Ariquemes, em parceria com a Faculdade de Meio Ambiente e Educação Ambiental (FAEMA) com apoio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMA). A ação foi realizada nas dependências da FAEMA, e contou com a participação de professores, representantes da saúde municipal, profissionais liberais, acadêmicos e imprensa local.

Com assuntos relacionados a estruturas de sistemas de abastecimento, regulação dos serviços públicos no Brasil e principalmente saúde pública, os participantes entenderam a legalidade que rege estas questões, conheceram os índices de doenças de veiculação hídricas que afetam diretamente a qualidade de vida da população e seus efeitos na educação, economia e desenvolvimento.

A secretária municipal do Meio Ambiente, Silaine Guedes, ressaltou que palestras como estas são fundamentais para conscientizar os moradores e capacitar ainda mais futuros profissionais da área do saneamento. “Ariquemes tem acesso água tratada, este é um benefício imensurável. O crescimento sustentável e a saúde pública do município precisam melhorar e o saneamento é o ponto de partida para esta promoção”, contou.

Para o biólogo, Renato Eberson dos Santos, Ariquemes tem 41 anos, comparado a outros municípios mais velhos está à frente nas questões de abastecimento de água e esgotamento sanitário. “Sabemos o mal que causa o uso da água contaminada, trazendo sérios danos à saúde. A população precisa ter essa consciência, seminários como este é uma oportunidade de informar, ressaltando ainda mais a importância do saneamento básico na vida de cada pessoa”, ressaltou.

E ainda segundo Santos, “Se considerarmos que existem em Ariquemes 36 mil imóveis registrados, se cada imóvel possuir uma fossa séptica que mina fluidos constantemente no solo, e paralelo a isso poços domiciliares, qual seria o resultado das análises da água e do solo?”, finalizou.

ÍNDICES – De acordo com pesquisas do Instituto Trata Brasil no Estado de Rondônia somente 40,71% da população tem acesso a rede de água tratada, e apenas 4,07% do esgoto é coletado.

Para mais informações sobre os trabalhos desenvolvidos pela Águas de Ariquemes, acesse www.aguasdeariquemes.com.br

 

Share Button