Desde o início do ano, os alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Campo Verde participam das atividades do projeto Pintando o Sete, que além de diversão, possibilita aos envolvidos interação social e o aprendizado de uma profissão que pode gerar renda para toda a família.

O projeto está em seu segundo ano e conforme a diretora da APAE, Rosilene Lopes Schabbach, os resultados já podem ser notados. “As atividades proporcionam mais concentração e melhoram a coordenação motora dos alunos, além de provocar uma maior interação social e um despertar para as possibilidades profissionais” destaca ela.

Técnicas de pintura, de bordado e de pedraria estão entre as atividades ensinadas as 90 pessoas atendidas pelo Pintando o Sete, entre elas crianças, adolescentes e até idosos.

Apoiam o projeto o Instituto Equipav e a Águas de Campo Verde. O Instituto é o braço social da Aegea Saneamento, empresa da qual a Nascentes do Xingu, administradora da concessionária Águas de Campo Verde, faz parte.

“A APAE realiza um trabalho reconhecido em todo país, que tem credibilidade, tem resultado e que as pessoas admiram muito”, afirma o presidente do Instituto Equipav, Carlos Henrique Paganetto Roma Junior. “O objetivo do instituto, ao apoiar a APAE de Campo Verde, é contribuir com esse processo verdadeiro de inclusão social, de educação e de profissionalização. Queremos que as oportunidades sejam iguais para todas as pessoas”, completa.

Além do Pintando o Sete, em Mato Grosso, o Instituto Equipav também apoia a realização de programas de educação ambiental, como o Saúde Nota 10, que chegou a escolas da rede pública de ensino do município no mês de abril e que premiará os alunos que produziram os melhores desenhos, frases e redações sobre o tema “Água e Esgoto Tratados: saúde para todos”.

Share Button